6 de novembro de 2010

A nova presidente ainda não tomou posse mas os partidos políticos derrotados na última eleição já preparam – na surdina, como é de seu estilo – um golpe institucional contra o novo governo. Enquanto o AI-5 Digital caminha célere nas comissões da Câmara, um projeto de lei patrocinado pelo inolvidável senador Demóstenes Torres (DEM - GO – conhecido por seu conceito de "estupro consensual" – que retira do vice-presidente da República o direito de sucessão, acaba de passar na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Alta.

Por sua vez, o já folclórico candidato derrotado Zé Serra – seguindo as pegadas de seu guia espiritual FHC – escapou para a França onde, acreditando-se livre de qualquer controvérsia, fez uma palestra em Biarritz. Para sua surpresa, no entanto, acabou sendo confrontado por um militante zapatista que – parodiando o mote do rei da Espanha contra Hugo Chávez – obrigou-o a ouvir a pergunta que, na verdade gosta de fazer: ‒ Por que não se cala?

Se estivesse no Brasil, certamente iria se queixar da intolerância e do espírito pouco democrático de seus adversários mas, como isso ocorreu na França, o que poderá dizer? Que demônios alienígenas estariam perseguindo o nosso santarrão em terras de além mar?

De volta ao torrão pátrio – se é que poderemos falar assim de alguém que vendeu seu País por tão pouco – o nosso intrépido Serrágio terá que convencer a população brasileira, especialmente os quase 60 milhões de eleitores que votaram em sua adversária, de que – com o tipo de sermão que anda pregando – não é apenas mais outro notório golpista.

 

Sérvulo Siqueira