Depois de nos prometer a abolição da desigualdade entre os seres humanos, a harmonia entre os povos, a completa libertação dos sentidos e a expressão pelas artes e a filosofia, o século 20 se encerrou melancolicamente com o fim abrupto das utopias, a competição desenfreada, o fanatismo religioso e a exacerbação das piores formas de racismo.

O período que decorreu entre os anos 1990 e o início do novo milênio viu aflorarem as ferramentas da nova tecnologia - computadores, telefones portáteis, automóveis com tecnologia eletrônica - que tinham por objetivo criar uma ilusão de felicidade, segurança, conforto e realização pessoal.

No entanto, o que aconteceu foi exatamente o contrário. O final da Guerra Fria – forma de equilíbrio de poder entre os Estados Unidos da América e a antiga União Soviética – liberou energias que haviam sidos represadas pela tensão decorrente do terror nuclear.

Desde a Guerra do Golfo, no limiar dos anos 90, o mundo passou a assistir e a sofrer de forma acentuada a ação de conflitos regionais que hoje ameaçam convulsionar todo o planeta.

O livro A Vida Sequestrada, com 256 páginas, uma coletânea de artigos que começou a ser escrita após o desabamento das torres do World Trade Center em Nova York, em 2001, procura mostrar como estes acontecimentos se refletiram na vida das nações e dos cidadãos, hoje mergulhados na insegurança e na instabilidade de suas vidas privadas e cada vez mais submetidos à violência dos indivíduos e dos Estados.

 


                                                          Sérvulo Siqueira